Rotas de fuga

Publicado em: 27.novembro.2012

Por: Acessibilidade na Prática

“Rota de fuga” é definida pela NBR 9050/2004 como um trajeto contínuo, devidamente protegido, proporcionado por portas, corredores, antecâmeras, passagens externas, balcões, vestíbulos, escadas, rampas ou outros dispositivos de saída ou combinações destes. Em casos de incêndio, esta rota deve proporcionar segurança ao usuário de qualquer ponto da edificação até atingir a via pública ou o espaço externo.

Na NBR 9050/2004 existem algumas condições gerais de rotas de fuga. Neste post, vamos conferir algumas delas. Outras condições dessas rotas devem atender ao disposto na ABNT NBR 9077/2001 – Saídas de emergência em edifícios.

Quando as rotas de fuga incorporarem escadas de emergência, devem ser previstas áreas de resgate com espaço reservado e demarcado para o posicionamento de pessoas em cadeiras de rodas. A área deve ser ventilada e fora do fluxo principal de circulação, conforme os exemplos abaixo:


area reservada cadeira roda area resgate

A figura acima foi extraída da NBR 9050/2004 e ilustra dois exemplos de áreas reservadas para cadeiras de rodas em áreas de resgate.


sinalizacao area de resgate
O pictograma acima trata-se da sinalização da área de resgate, que deve estar junto à demarcação (no piso) do local para o posicionamento de pessoas em cadeiras de rodas. A porta de acesso às áreas de resgate deve ser identificada com sinalização em material fotoluminescente ou ser retroiluminada. Devem haver instruções sobre a utilização da área de resgate, atendendo as especificações de textos de orientação contidas na NBR 9050/2004.


Foto: Newi

A foto acima ilustra uma rota de fuga feita por meio de escadas, onde está prevista a área de resgate, porém esta não segue as especificações de sinalização da norma técnica. Existe apenas o Símbolo Internacional de Acesso pintado no piso.


Esta é outra rota de fuga feita por meio de escadas. Apesar de não ser possível afirmar pela foto, a área de resgate não está demarcada nesse local.

Uma consideração importante é que não basta sinalizar e adequar a estrutura física do prédio. Todos que trabalham ou residem nos locais onde há rotas de fuga devem receber orientações para saber que elas existem e como utilizá-las de maneira segura em casos de emergência.


Maria Alice Furrer



Uma ideia sobre “Rotas de fuga

  1. Boa tarde,

    Em relação a norma abaixo como se define o tamanho total do corredor ? do acesso ate a ultima porta ou o comprimento total ?

    Se o corredor tiver 18 metros total porem um acesso no meio (elevador) é considerado o acesso ate o ultimo apartamento, ou seja, 9 metros e ele pode 1,2metros de largura?

    Ou temos que considerar 18 metros e precisa ter 1,5 metros de largura ?

    Na prefeitura de Florianópolis consideram 2 corredores de 9 metros cada e com isso aprovam os projetos com 1,2 metro de largura.

    Ou seja, do acesso (elevador) até o ultimo apartamento.

    Fico no aguardo de um posicionamento.

    Obrigado pela atenção,

    Andre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *