Rebaixamento de calçada para travessia de pedestres

Publicado em: 31.outubro.2011

Por: Acessibilidade na Prática

 
Os rebaixamentos, quando construídos adequadamente, tornam acessível o percurso de todos os pedestres, independente se são pessoas com dificuldade de locomoção ou não. 
 
As calçadas têm de ser rebaixadas sempre que houver fluxo de pessoas, junto às travessias de pedestres, mesmo se esta travessia não estiver sinalizada com faixa ou não houver um semáforo.
 
Rebaixamentos de calçada podem estar localizados nas esquinas, nos meios de quadra e nos canteiros divisores de pistas. Abaixo segue um exemplo localizado em uma esquina:
 
A inclinação do rebaixamento ilustrado na foto é suave. O revestimento do piso é regular, firme e antiderrapante. Porém, existe uma ressalva em relação ao revestimento do piso, já que este tem uma cor clara e, dependendo da luminosidade do local, pode causar ofuscamento na visão de um idoso, por exemplo. Se na foto já é difícil delimitar a largura da rampa, devido à cor do seu piso, imaginem em um dia com sol forte.
 
A sinalização tátil instalada possui cor contrastante com a do piso adjacente, mas não segue à risca as especificações da NBR9050.  A  particularidade desta sinalização (que não está prevista na Norma) é  o piso tátil direcional (vermelho) entre os dois pisos táteis de alerta (amarelo). Abaixo a figura ilustra o que a norma especifica para esta situação:

 


Observação: existem outras opções de sinalização tátil para rebaixamentos previstas na NBR9050.
 
Não deve haver desnível entre o término do rebaixamento da calçada e o asfalto, como é ilustrado acima. A existência deste desnível muitas vezes impossibilita a utilização do rebaixamento. Como um cadeirante, por exemplo, poderá utilizar esta rota “acessível” com segurança, conforto e autonomia? Ressaltando que qualquer pedestre é prejudicado com esta elevação do asfalto em relação ao término do rebaixamento. Uma pessoa distraída pode tropeçar neste desnível e sofrer um acidente.
 
A NBR9050 especifica dimensões, sinalização e diferentes exemplos para rebaixamentos, ou seja, não basta apenas construir uma “rampa” na calçada sem parâmetros adequados e pensar que o trajeto está acessível.


Maria Alice Furrer
 

2 ideias sobre “Rebaixamento de calçada para travessia de pedestres

  1. Pingback: Salão de beleza acessível em Belo Horizonte - Cadeira Voadora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *