Obras x Acessibilidade

Publicado em: 05.junho.2011

Por: Acessibilidade na Prática

Segundo a NBR9050, quando existirem obras sobre o passeio (faixa livre de circulação), elas devem ser adequadamente sinalizadas e isoladas, garantindo a segurança e o livre acesso de todos os pedestres.
 
A sinalização deve garantir uma largura mínima de 1,20 m para a livre circulação. Se isso não for possível, deve ser feito um desvio pelo asfalto, onde o pedestre poderá continuar seu trajeto sem circular dentro da obra.
 
O desvio, quando necessário, é feito pela rua através de uma rampa provisória, com largura mínima de 1,00 m e inclinação máxima de 10%. A figura abaixo demonstra o correto exemplo de rampas de acesso provisórias:
 
Rampas de acesso provisórias (ABNT NBR 9050, segunda edição, 31/05/2004)
 

 
Apesar de a construção de rampas provisórias ser um recurso viável, encontramos poucos exemplos de obras sobre o passeio adequadamente sinalizadas. Ao invés disso nos deparamos com as seguintes situações:
 
 
Imagem da Internet
Obra sobre o passeio, não sinalizada e sem desvio, com uma caçamba de entulho impedindo a passagem de pedestres pela calçada.
 
 
Imagem: Arquivo do Blog Acessibilidade na Prática
Calçada em obras, e novamente com a caçamba de entulho sobre a faixa de livre de circulação, com um agravante, está sobre o piso tátil direcional.
 
 
Imagem: Arquivo do Blog Acessibilidade na Prática
Calçada sem possibilidade de circulação, com a obra não sinalizada, não possuindo uma rampa provisória para desvio pelo asfalto. Ressaltando o acúmulo de lixo.
 
 
Imagem: Arquivo do Blog Acessibilidade na Prática
Novamente outro exemplo de obras que não atendem as especificações da NBR9050, interferindo na circulação e segurança dos pedestres que necessitam trafegar nesta calçada.
 
As medidas de sinalização e desvio de obras sobre o passeio são simples e viáveis, mas poucas obras as seguem. Qualquer pedestre que trafegue por estas faixas ilustradas acima, tem o risco iminente de sofrer uma queda ou outro tipo de acidente. Portanto, seguir estas regras, além de tornar o local acessível, garante a segurança dos usuários.
 
 
Maria Alice Furrer
 

6 ideias sobre “Obras x Acessibilidade

  1. Olha, eu que sou da área, sei muito bem o transtorno que é isso dai. Eu não sei como é a fiscalização ai em Campo Grande, mas aqui em Costa Rica, agora é fiscalizado, todas as obras tem que serem isoladas e sinalizadas, deixando o espaço mínimo para passagem de pedestre. Mas ainda peca na acessibilidade.

  2. Pingback: Flagrante – Maria Alice (XLIV) | Acessibilidade na Prática

  3. Pingback: Flagrante – Frederico Rios (XXVI) | Acessibilidade na Prática

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *