Detalhes técnicos das barras de apoio

Publicado em: 09.março.2016

Por: Acessibilidade na Prática

As lojas de materiais para construção oferecem diversos tipos de barras de apoio, mas será que todas as barras disponíveis no mercado atendem às especificações técnicas?

Muitos modelos de barras de apoio dificultam as transferências e colocam em risco a segurança dos usuários. Por isso, é muito importante seguir as recomendações da norma técnica.


Dimensões mínimas

Para evitar falhas e erros, a NBR 9050/2015, no ANEXO C, detalhou as posições e medidas que as barras de apoio devem contemplar em cada forma de instalação. Confira nas figuras abaixo:


a) Barra de apoio reta

barra

b) Barra de apoio lateral 

barra

c) Barra de apoio lateral articulada para bacia sanitária

barra

d) Barra de apoio lateral para lavatório

barra

e) a barra de apoio a 90°

barra

Resistência

Todas as barras de apoio utilizadas em sanitários e vestiários devem resistir a um esforço mínimo de 150 kg no sentido de utilização da barra, sem apresentar deformações permanentes ou fissuras, ter empunhadura adequada e estar firmemente fixadas a uma distância mínima de 40 mm entre sua base de suporte (parede, painel, entre outros) e a face interna da barra. Suas extremidades devem estar fixadas nas paredes ou ter desenvolvimento contínuo até o ponto de fixação com formato recurvado. Quando necessários, os suportes intermediários de fixação devem estar sob a área de empunhadura, garantindo a continuidade de deslocamento das mãos. O comprimento e a altura de fixação são determinados em função de sua utilização.


Material e instalação


Quando executadas em material metálico, as barras de apoio e seus elementos de fixação e instalação devem ser confeccionadas em material resistente à corrosão, conforme ABNT NBR 10283, e determinação da aderência do acabamento conforme ABNT NBR 11003.


Leia também: Barras de apoio


Maria Alice Furrer e Frederico Rios



Uma ideia sobre “Detalhes técnicos das barras de apoio

  1. Pingback: Barras de apoio | Acessibilidade na Prática

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *