Cuidador profissional vs. membro da família

Idosos debilitados ou com Alzheimer, pessoas acometidas por doenças neuromusculares, lesados medulares, crianças com paralisia cerebral e pessoas vítimas de AVC são apenas alguns exemplos de indivíduos que podem precisar de cuidados contínuos de outras pessoas. Os auxílios necessários variam de acordo com o grau da patologia ou o tipo de deficiência, e muitas vezes são imprescindíveis para realizar atividades simples como tomar banho, escovar os dentes, trocar de roupa, comer, ingerir medicamentos, se locomover e até fazer exercícios.



cuidador 1

Foto: ABRAFORDES



Cuidar de uma pessoa em situação de “dependência” é, antes de qualquer coisa, um gesto de amor, que exige dedicação, paciência, atenção, conhecimento e várias outras habilidades. É claro que vez ou outra ouvimos relatos de cuidadores que praticam atos de violência contra pessoas vulneráveis, mas não podemos considerar esses casos como sendo maioria dentro desse universo.

Existem também aquelas situações onde a pessoa que necessita de cuidados passa boa parte do dia sozinha numa cama, pois seus familiares precisam trabalhar fora para colocar comida na mesa. Acredito que essa seja uma das situações mais tristes, pois geralmente a aposentadoria que a pessoa recebe mal dá para pagar medicamentos e produtos hospitalares, e a família tem amor e vontade de sobra para realizar os cuidados necessários.

Continue lendo

Cartão de estacionamento – Guaratinguetá (SP)

Em Guaratinguetá (SP), o cartão de estacionamento para pessoas com deficiência deve ser solicitado no Departamento Municipal de Trânsito.

  • Documentos necessários: cópias do CPF, RG, CNH, comprovante de residência e do laudo médico;
  • Prazo para emissão: até 30 dias;
  • Endereço: Avenida Dr. João Batista Rangel Camargo 280, Centro, Guaratinguetá – SP;
  • Telefone: (12) 3133-2600.


Para dúvidas ou informações sobre solicitação do cartão de estacionamento para “idosos”, entre em contato pelo telefone acima.


“Multa Moral” Acessibilidade na Prática

Um dos grandes desafios de quem luta pela acessibilidade é a conscientização sobre o uso correto das vagas de estacionamento reservadas para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. As vagas de estacionamento tornaram-se um “símbolo” da causa, principalmente após a grande repercussão da campanha “Esta vaga não é sua nem por um minuto!“, que despertou a atenção de boa parte da sociedade. Prova disso é a enorme quantidade de denúncias que registramos todas as semanas nos Flagrantes dos Seguidores.

Assim, o Blog Acessibilidade na Prática resolveu sair um pouco da “virtualidade” e lançar sua “multa moral”, inspirada em vários movimentos semelhantes espalhados pelo país. Entretanto, resolvemos ampliar nossa “fiscalização” para além das vagas de estacionamento. 


MULTA MORAL



A “multa moral” não é simplesmente uma forma de conscientizar os motoristas infratores. É também uma maneira de envolver a sociedade na fiscalização das vagas reservadas e de outras estruturas acessíveis, chamando a atenção de todos para a importância da acessibilidade na inclusão social.

Se você quer fazer parte do nosso time de fiscais e conscientizadores, clique aqui para baixar o arquivo em Corel Draw e imprimir nosso modelo de “multa moral”. 

Temos alguns bloquinhos de multas disponíveis para quem reside em Campo Grande – MS. Para conseguir o seu, entre em contato conosco. Não cobraremos pelos bloquinhos, pois não temos intenção de obter lucro com a “multa moral”.

Mas antes de sair por aí “multando” todo mundo, não esqueça de ter bom senso e educação para com os “infratores”. Procure se informar por meio dos links abaixo e lembre-se de que muitas pessoas têm o direito de utilizar as vagas reservadas e não sabem do procedimento correto para tal, sem contar que nem toda pessoa que precisa da vaga é necessariamente cadeirante. Além disso, não queremos despertar ódio nem brigas, apenas a consciência das pessoas.

Mãos à obra!


Leia também:

            Cartão de estacionamento para vagas reservadas

            A importância do tamanho adequado das vagas reservadas de estacionamento

            Uma vaga reservada quase ideal

            Vagas reservadas de estacionamento paralelas à calçada


Equipe ANP


Solicitação de seção eleitoral acessível pode ser feita pela internet

Segundo o artigo 3º da Resolução n.º 21.008/02 do TSE, até 90 dias antes das eleições (neste ano o prazo é até 07/07/2014), os eleitores com deficiência poderão comunicar ao Juiz Eleitoral, por escrito, suas restrições e necessidades a fim de que a Justiça Eleitoral, se possível, providencie os meios e recursos destinados a facilitar-lhes o exercício do voto.


TRE acessibilidadeImagem: TRE-SP


Para facilitar o acesso do eleitor com deficiência a esse serviço, foi desenvolvido um formulário eletrônico, que já está disponível no portal da internet (www.tre-ms.jus.br), na opção Eleitor > Acessibilidade Requerimento. Após o preenchimento dos dados nesse formulário, um e-mail é enviado automaticamente com o requerimento pronto à Zona Eleitoral do eleitor. (Observação: Os links exemplificados acima são para os eleitores de Mato Grosso do Sul. Eleitores de outros estados deverão acessar os sites dos seus respectivos TREs, substituindo na URL o “ms” pela sigla do seu estado).

Recebido o requerimento, a Zona Eleitoral submete o pedido à análise do Juiz Eleitoral e, na medida do possível, providencia os meios e recursos solicitados.

Por fim, lembramos que, se ainda assim o eleitor não tiver como comunicar suas necessidades, ele poderá, no dia da eleição, informar ao mesário sobre sua condição, para que o auxílio adequado seja providenciado. 


AdrianaAdriana Morales – Analista Judiciário do TRE-MS; graduada em Direito pela UFMS em 2006; especialista em Direito Constitucional pela Uniderp desde 2008.


Twitter: @dricamorales15





Orientações às pessoas com deficiência sobre as Eleições 2014

As eleições gerais estão se aproximando e nessa hora lembramos que temos de regularizar nosso título eleitoral. Por conta das eleições que acontecerão em outubro, o cadastro eleitoral é encerrado 151 dias antes, data que, neste ano, será em 7 de maio. Esse prazo vale para todos os eleitores, tenham ou não deficiência. Por isso, aí vão algumas dicas:


TRE acessibilidadeImagem: TRE-SP


O dia 7 de maio é o prazo fatal para solicitação à Justiça Eleitoral de alistamento eleitoral (1ª via do título de eleitor), transferência de domicílio eleitoral (mudança de uma cidade para outra), alteração do local de votação, correções de dados e regularização em geral. Para a solicitação de quaisquer dessas operações, é necessária a apresentação de documento oficial com foto (acompanhado de fotocópia) e comprovante de residência. Para os homens com 18 anos ou mais também é preciso apresentar quitação com o serviço militar em caso de 1ª via do título.

Continue lendo

Preparação de pessoas com deficiência para concursos públicos

Fala-se pouco nas redes sociais e na mídia de um modo geral sobre a preparação para concursos públicos dos candidatos com deficiência, vulgarmente denominados como candidatos PNE’s (portadores de necessidades especiais). Vale deixar, como cartão de visitas, minha crítica a esta infeliz nomenclatura oficializada pelo Decreto 3298/99. Ora, eu sou tetraplégico e não carrego minha deficiência física na carteira como se fosse um documento! (Eu não tenho opção de portar ou não minhas limitações!). Mas, tratando da rotina de estudos de um candidato com deficiência, dependendo da sua limitação – seja física, auditiva, visual ou intelectual – é bem possível bater de frente com alguns obstáculos que, se não forem previamente observados, podem interferir de maneira bastante negativa no resultado almejado pelo candidato.

concurso publico

Imagem: Essas e Outras


Não quero fazer drama nem sensacionalismo, mas imagine como é ter que deixar de fazer um bom curso preparatório porque o estabelecimento não oferece o mínimo de acessibilidade (rampas de acesso, elevadores, banheiro adaptado, mesa para cadeirante, sala de estudo com espaço adequado, etc.) para receber um candidato numa cadeira de rodas? Poucas instituições no ramo pensam nisso. A situação é muito complicada. Até mesmo para um autodidata com disciplina de estudo é preciso muita estratégia e dinamismo para não deixar que as limitações atrapalhem. Por exemplo, quando a pessoa com deficiência é parcialmente independente (minha situação), ela pode até ter garra e a disciplina necessária, mas vai ter que adequar seu programa de estudo à rotina dos terceiros que a acompanham. Não dá para virar uma noite estudando e preocupado caso precise de alguém para te ajudar sair de uma cadeira no meio da madrugada, ou nem sempre será possível encontrar bons materiais em áudio, Libras ou braille. Isso tudo sem falar nas dificuldades de locomoção dos que dependem de transporte público para chegar numa sala de cursinho.

Continue lendo