Sanitário acessível da Casa Cor MS 2016

A Arquiteta Paula Magalhães assinou o ambiente Banho Público, exposto na Casa Cor MS 2016. Além de fazer parte da mostra, este ambiente também foi utilizado pelos visitantes durante o evento, principalmente por estar próximo ao restaurante.

O Banho Público foi subdividido em três ambientes: sanitário masculino, sanitário feminino e sanitário unissex acessível. Confiram a seguir alguns detalhes do sanitário acessível!

 

01Esta é a parede da entrada do ambiente, contendo o Símbolo de Sanitário Feminino, o Símbolo Internacional de Acesso, o Símbolo de Sanitário Masculino e alguns quadros.

Apesar dos símbolos utilizados nesta sinalização estarem representados nos formatos corretos, as cores não estão de acordo com as recomendações técnicas. Os pictogramas pretos sobre a parede verde escura dificultam a visualização.


Continue lendo

Acesso e circulação interna da Adega Colonial

A Adega Colonial é um restaurante localizado na Rua Paraíba 214, Jardim dos Estados, Campo Grande – MS. 

As imagens a seguir não estão muito nítidas devido principalmente à pouca iluminação, mas elas nos dão uma boa noção sobre alguns aspectos da acessibilidade do local.


imagemA calçada da Adega Colonial é regular em praticamente toda sua extensão, proporcionando uma circulação segura e confortável. Entretanto, é utilizada inadequadamente como estacionamento para motos. Em casos como esse, é necessário sinalização e espaço adequados para utilizar a calçada como acomodação de veículos.

Continue lendo

Auxílios ópticos para baixa visão

Auxílios e recursos para baixa visão

“Auxílios” são produtos, instrumentos, equipamentos ou tecnologia adaptada ou especialmente projetada para melhorar a funcionalidade da pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida, favorecendo a autonomia pessoal, total ou assistida. Basicamente, os auxílios para baixa visão podem ser divididos em: não ópticos, ópticos e eletrônicos.

Os auxílios ópticos são os que, de acordo com suas características ópticas, promoverão o melhor desempenho visual da pessoa com baixa visão. Eles podem ser classificados em “auxílios ópticos para ampliação da imagem” e “auxílios ópticos para relocação e condensação da imagem retiniana”.



Auxílios ópticos para ampliação da imagem


Esses auxílios consistem em aumentar a imagem retiniana. Dentre as ferramentas, podemos dividir os auxílios em auxilio óptico de ampliação para perto ou para longe.



Auxílios óptico de ampliação para perto


Pode-se utilizar lentes convexas ou telescópios. As lentes podem ser montadas em armações de óculos, lupas manuais ou lupas de apoio.


• Lupas: As lupas têm a função de aumentar a imagem retiniana. São utilizadas lentes convexas ou uma combinação de lentes. As lupas podem ser manuais ou de apoio. A lupa manual deve estar posicionada na distância correta (distancia focal) para que os raios permaneçam paralelos. Quanto mais próximo a lupa do olho, maior o campo de visão. As lupas manuais apresentam diferentes distâncias de trabalho (objeto-lupa), portanto o paciente deve ser avaliado junto com o oftalmologista para a prescrição adequada. Alguns modelos têm luz acoplada e melhora a iluminação do ambiente quando essa não for o suficiente. As lupas de apoio apresentam um suporte rígido que é apoiado sobre o texto a ser lido, podendo alguns modelos apresentar ajuste do foco (correção de erros refracionais). As lupas são muito utilizadas em pacientes com glaucoma em estágios mais avançados ou retinose pigmentar.


lupa 1
lupa 2

• Óculos binoculares e monoculares: Geralmente, para os óculos binoculares, são indicadas lentes esféricas positivas e lentes esferoprimáticas (com prisma posicionado para a base nasal em ambos os olhos). São indicados para pessoas com redução da acuidade visual para perto e próxima em ambos os olhos. O uso de lentes com prima posicionado na base nasal oferece maior conforto pois diminui a necessidade de convergência para a leitura de perto. Para os óculos monoculares existem diversos tipos de lentes, indicadas de acordo com a necessidade de dioptrias. Lentes esféricas (20 dioptrias), lentes asféricas (12-20 dioptrias), lentes microscópicas (24-48 dioptrias), doublets (2 lentes esféricas, 16-80 dioptrias), lentes bifocais (4-32 dioptrias). Lembrando que as lentes esféricas tem maior aberrações periféricas, e as asféricas e doublets tem aberrações óptica periférica reduzida.


• Sistemas telescópicos para perto (telemicroscópios): Os telemicroscópios são ferramentas que apresentam um menor campo de visão e uma menor profundidade de foco, porém seu uso é indicado para tarefas que requerem distâncias maiores que os outros recursos ópticos para perto (como leituras em distâncias maiores).



Continue lendo

Auxílios não ópticos para baixa visão

Auxílios e recursos para baixa visão

“Auxílios” são produtos, instrumentos, equipamentos ou tecnologia adaptada ou especialmente projetada para melhorar a funcionalidade da pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida, favorecendo a autonomia pessoal, total ou assistida. Basicamente, os auxílios para baixa visão podem ser divididos em: não ópticos, ópticos e eletrônicos.

Os auxílios não ópticos para baixa visão são os que não empregam sistemas ópticos, porém modificam materiais e o ambiente para promover melhor desempenho visual da pessoa com baixa visão.



Ampliação

A ampliação de letras em impressos ajuda alguns pacientes com visão subnormal, pois favorece a leitura pela magnificação real pelo maior contraste e pela menor freqüência espacial obtida. Além dos impressos, também é possível ampliar caracteres utilizados em teclados de telefone, relógios, jogos e outros. Além da ampliação, há outros detalhes que facilitam o paciente durante sua leitura ou outras atividades:

• Espaçamento entre linhas (ao menos 30% da altura da letra empregada para facilitar a localização do início do texto na linha).

• Uso de letras minúsculas e maiúsculas ao invés de somente maiúscula ou minúscula.

• Uso de fontes simples (fontes muito elaboradas – com muito detalhes – dificultam a leitura).

• Margens estreitas para maior aproveitamento da largura da folha e evitar papel brilhante.

Infelizmente são poucas opções de publicações ampliadas, e a maneira mais utilizada é o escaneamento do texto com reimpressão utilizando fontes maiores.


Para posicionamento e postura

Muitos auxílios ópticos requerem uma distância muito pequena de leitura, o que torna a atividade cansativa e pode levar à falência da adaptação. Por isso, é importante uma boa postura e um posicionamento adequado do material.

Os auxílios mais utilizados são pranchas inclinadas e apoio de material de leitura. Eles ajudam a manter o material em um ângulo de 45 graus com o plano da mesa, possibilitando que a linha de visão seja perpendicular ao planto do texto, oferecendo maior conforto e manutenção do foco com uso do auxílio óptico.


prancha inclinada

Para escrita e leitura


• Guias para escritas: podem ser confeccionados em cartão preto e com fendas nos locais que devem ser preenchidos (para cheques, por exemplo).


• Folhas com pauta ampliada e reforçada: facilitam a ampliação das letras e aumentam o contraste da linha com o papel.


• Canetas porosas e lápis macio (3b ou 6b): para o aumento do contraste.



Continue lendo

Iluminação x acessibilidade

Lendo o livro “Desenho Universal – Caminhos da Acessibilidade no Brasil”, mais precisamente no capítulo 4, achei o texto “A influência da iluminação nos ambientes acessíveis – identificando barreiras” muito interessante.

Será que já paramos para analisar a importância da iluminação na acessibilidade dos ambientes? Pensando nisso, vou compartilhar com vocês alguns pontos desse texto, os quais, inclusive, já mencionamos algumas vezes aqui no blog. 

Existem diferentes tipos de barreiras no nosso cotidiano que acabam interferindo negativamente na mobilidade das pessoas. As barreiras lumínicas também devem ser exploradas por afetarem diretamente ambientes acessíveis, e são causadas pelo excesso, falta ou defeito da iluminação dos espaços.


IMG

A foto acima demonstra que o excesso de iluminação natural do local ofusca a visão. Esse fator, juntamente com a sinalização inadequada da rampa e da escada, dificulta ainda mais a utilização dessas estruturas.

Conhecendo as barreiras lumínicas, torna-se mais fácil combatê-las. O texto mencionado anteriormente faz algumas recomendações para que um projeto de iluminação seja acessível:

Continue lendo