DISQUE DENÚNCIA 156

Quem sofre com a falta de acessibilidade certamente já teve vontade de “botar a boca no trombone” diante de certas situações: vaga reservada ocupada indevidamente, rebaixamento de guia quebrado ou a falta dele, estacionamento sobre a calçada, estabelecimento sem acesso adequado, calçada quebrada e por aí vai. No entanto, como nosso país é especialista em burocracia, nos sentimos desmotivados  a defender nossos direitos, pois nem sempre é fácil mobilizar órgãos como Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Prefeitura Municipal e outros, apesar de alguns deles já contar inclusive com aplicativos de celular para isso.

 

 



O que pouca gente sabe é que, na maior parte das situações, é a Prefeitura quem tem meios de resolver esses problemas mais rapidamente, sejam questões estruturais ou infrações de trânsito. Na maioria das prefeituras brasileiras, especialmente nas capitais, as denúncias podem ser feitas pelo telefone 156.

Em Campo Grande mesmo, o 156 está apto a receber qualquer denúncia de falta ou desrespeito à acessibilidade, seja identificando-se ou anonimamente. Mesmo quando anônima, a denúncia recebe um número de protocolo, que pode ser consultado a qualquer momento para verificar o andamento da denúncia.

Não permita que seu direito à acessibilidade continue sendo desrespeitado. Denuncie!

Leia também:
Ambulift: uma luta para conseguir e uma briga para utilizar!
Pessoas com deficiência e os exames médicos do Detran


Frederico Rios



Os cidadãos estão de olho!

Hoje, ao abrir meu Facebook, me deparei com um verdadeiro "bombardeio" de um mesmo compartilhamento. Tratava-se de uma foto postada pelo internauta Ricardo Marconato, denunciando uma irregularidade grotesca numa obra recente da Prefeitura Municipal de Campo Grande, onde havia uma placa no meio da passagem para pedestres. Em menos de 24 horas, a foto recebeu mais de 1600 compartilhamentos na rede.
 


 
A denúncia feita por Ricardo teve destaque em Portais de Notícias como Campo Grande NewsMidiamax e MS Repórter. E o mais interessante: a repercussão de sua postagem provocou uma rápida ação da Prefeitura para solucionar o problema, a qual utilizou o próprio Facebook para dar satisfações à população.

Conforme já abordamos diversas vezes aqui no blog, a Prefeitura de Campo Grande não é nenhum exemplo de gestão pública no que diz respeito à acessibilidade e mobilidade urbana, mas cumpriu seu papel pelo menos desta vez.

Tudo isso demonstra que qualquer cidadão pode mudar algo na sociedade e, por menor que seja esta mudança, ela pode melhorar a vida de alguém ou até mudar o comportamento das pessoas. E a Internet, juntamente com as redes sociais, está aí para nos ajudar nesta empreitada.

São atitudes como esta que nos estimulam a seguir firmes na luta pela acessibilidade. Não estamos sozinhos, amigos! Parabéns pela atitude, Ricardo!

Abraços!!!


Frederico Rios
 

Como fazer uma denúncia por falta de acessibilidade

Irregularidades: onde e como denunciar
 
Você vai a um supermercado e nota que ele não reservou vagas de estacionamento às pessoas com deficiência. Ou então caminha pela cidade e observa que o piso tátil das calçadas foi assentado de maneira irregular. Ou, ainda, vai passear num shopping e percebe a inexistência de sanitários adaptados. Você acha que isso está errado? Sim, isso está errado e demonstra apenas alguns exemplos das inúmeras irregularidades encontradas todos os dias pelas pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida.
 
Mas o que a maioria das pessoas não sabe é que essas irregularidades podem (e devem) ser denunciadas aos órgãos responsáveis por oferecer, fiscalizar e zelar pela acessibilidade a todos os cidadãos.
 
Então, a partir de hoje, quando você se deparar com alguma irregularidade que comprometa a acessibilidade do local que você estiver visitando, bote a boca no trombone e denuncie!
 
Vamos aprender como? Segue abaixo a relação dos lugares onde você pode fazer a sua reclamação: