Antiga categoria “Denuncie Aqui”

Publicado em: 15.janeiro.2012

Por: Acessibilidade na Prática

Olá, pessoal!

Este post é para deixarmos registradas as participações dos nossos seguidores na antiga categoria "Denuncie Aqui", onde as pessoas denunciavam abusos e desrespeitos relacionados à acessibilidade. Hoje, a categoria Flagrantes dos Seguidores é o espaço aqui no blog destinado a este tipo de denúncia, onde publicamos também flagras de presença ou falta de acessibilidade enviados pelos leitores.

Continuem participando! Este espaço é feito por vocês!

Abraços!!!

Frederico Rios


 



Seguidora: Maysa Bueno
Twitter: @maysabb
Data da foto: 13/04/2011
Local e descrição: Alguém nesta foto parece ter problema de mobilidade? Isso foi no Walmart de Campo Grande, onde esse tipo de abuso ocorre com frequência.
 




Seguidora: Maria Alice Furrer
Twitter: @marialiceff
Data da foto: 04/04/2011
Local e descrição: Na frente e laterais deste estabelecimento, localizado na Rua Chaad Scaff em Campo Grande – MS, existe piso tátil direcional nas calçadas, onde também é prevista área de faixa livre de circulação de 1,20 m. O problema é que posteriormente ao piso tátil estão as vagas do estacionamento, ou seja, toda a extensão da calçada tem entrada e saída de veículos não sinalizada e ainda os carros estacionam sobre a sinalização tátil direcional. Assim, a circulação de um deficiente visual, cadeirante ou até mesmo de um pedestre torna-se difícil ou até mesmo impossível.

 


Seguidora: Juliana Ribeiro
Twitter: @xuribeiro
Data da foto: 01/04/2011
Local e descrição: Banco do Brasil, Bairro Chácara Cachoeira, em Campo Grande – MS. Duas pessoas estacionaram seus respectivos carros na vaga reservada para deficientes e ficaram do lado conversando até entrarem no banco.
 






Seguidora: Maria Alice Furrer
Data da foto: 25/03/2011

Local e descrição:

Bar Indêz, localizado na Rua Antônio Maria Coelho, quase esquina com a Rua Espírito Santo.

Este estabelecimento utiliza as calçadas como espaço externo do bar, ou seja, interfere na faixa livre de circulação das calçadas.  Além de impor barreiras (cadeiras e mesas), existe a circulação de garçons e clientes, não permitindo que um cadeirante, por exemplo, possa utilizar a calçada. Ressaltando que, apesar de a foto não ilustrar, na entrada deste bar existe degraus fixos, sem sinalização tátil ou visual e corrimãos, sendo esta a única forma de entrada ao local (sem rampas!).

A foto também ilustra que as calçadas deste trecho são inadequadas. A da frente do bar não é antiderrapante e a que antecede este lote (centro da foto) é totalmente irregular, desnivelada e possui pisos e pedras soltas. Desta forma, com a utilização inadequada da faixa livre de circulação de pedestres e a falta de manutenção das calçadas, o trajeto é prejudicado, não apresentando nenhuma acessibilidade.

 




Seguidora: Adriana Benatti
Data da foto: março de 2011
Local e descrição: Loja de Tecidos Santa Rita, na Avenida Mato Grosso, em Campo Grande. 
Acessibilidade na Prática: Reparem que é um veículo oficial do Poder Judiciário de MS.






Seguidores: Frederico Rios e Ronny Stward
Data da foto: 22/03/2011
Local e descrição: No estacionamento do Walmart de Campo Grande, pessoas jovens e "andantes" utilizam as vagas reservadas a todo momento. O veículo da foto foi estacionado por um jovem cidadão, exibindo no seu pára-brisas um adesivo do Tribunal de Contas. Além da falta de respeito, estacionou o veículo totalmente "torto", prejudicando os outros usuários.
 






Seguidora: Maria Alice Furrer
Data da foto: 20/03/2011
Local e descrição: A loja Riachuelo do Shopping Campo Grande MS possui um provador reservado e sinalizado com o Símbolo Internacional de Acessibilidade, porém sua entrada está vedada por uma cabideira. Assim, se uma cadeirante chegasse neste momento para experimentar uma peça de roupa, ela teria que esperar a remoção deste mobiliário para então poder usar o provador. Vale ressaltar que os demais provadores, os não reservados, não tinham nenhuma barreira bloqueando a passagem.






Seguidor: Luiz Otávio Anunciação
Data das fotos: 15/03/2011
Local e descrição: O desrespeito continua em frente ao restaurante Faça & Leve, situado na Av. Eduardo E. Zahran 1257. Essas fotos foram tiradas às 11:52h. O carro vermelho estacionou e o dono foi almoçar, ou seja, ficou no mínimo 30 minutos estacionado na calçada. A maioria que estaciona, pega marmita e sai.







Seguidora: Marina Kroll
Data das fotos: 12/03/2011
Local: Rua Marquês de Lavradio, em frente ao Residencial Tupinambás. Campo Grande – MS
Descrição: Sábado estava almoçando e presenciei esta cena: um flagrante de falta de tudo, de bom senso, de respeito. O pessoal vem almoçar aqui no restaurante em frente ao condomínio e estacionam na calçada! E a calçada nem cimento tem! Predomina o matagal mesmo.









Seguidora: Caroline Longo
Data das fotos: 01/02/2011
Local e descrição: Fui ao Atacadão da Av. Costa e Silva fazer a compra do mês. Ao percorrer o estacionamento, percebi o quanto estava lotado e as vagas destinadas a deficientes físicos estavam TODAS ocupadas por carros mal estacionados. Acredito que a maioria que ocupava as vagas não eram deficientes. Depois fui dar uma olhada no banheiro e, como sempre, estava péssimo.





Seguidor: Luiz Otávio Anunciação
Local e descrição: Quero colaborar com algo que julgo recorrente em todas as cidades brasileiras, que são os carros que estacionam nas calçadas, não só negando acesso as pessoas com alguma dificuldade de locomoção, mas como as fotos demonstram, a todos nós que utilizamos as calçadas. Essa cena de carros na calçada, ocorre todos os dias em frente ao restaurante Faça & Leve, situado na Av. Eduardo E. Zahran 1257, que por sinal não é culpado por atos alheios, mas bem que poderia orientar seus seguranças a evitar que isso ocorra, chamando a atenção dos maus educados. Seria um ótimo local para a AGETRAN visitar entre 11 e 13 h. Pego marmita (no sul é vianda) todos os dias lá e isso é constante… nesses dias de chuva da dó presenciar os idosos tentando andar em meio aos carros com suas marmitas, imagine se alguém em uma cadeira de rodas passaria?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *