Protegendo o carango

Publicado em: 21.junho.2017

Por: Acessibilidade na Prática

Definitivamente, o brasileiro é um apaixonado por carro. Antes mesmo de sonharmos com a casa própria já estamos ralando para comprar um automóvel, pois na pior das hipóteses podemos morar dentro dele 😀 , e num país onde a acessibilidade e a mobilidade urbana estão longe do razoável, pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção movem montanhas para adquirir um meio de locomoção.


 


O que poucas pessoas se atentam é que nós, mortais com deficiência, também podemos gostar de carro. Não tem essa de “pode ser de qualquer cor” ou “pode pegar emprestado e devolver quando quiser”. No entanto, é complicado cuidarmos do veículo de maneira adequada justamente pela nossa falta de mobilidade, e no caso dos cadeirantes, manusear a cadeira de rodas acaba estragando a pintura e o estofado, e acabamos desencanando de cuidar do carro.

Neste post, mostrarei a maneira que encontrei para evitar que a cadeira de rodas estragasse o carro da minha esposa. São soluções simples e que podem ser aplicadas em qualquer carro. Confira!


É comum a cadeira de rodas arranhar o carro no momento da transferência. Para evitar isso, instalei um carpete para proteger a caixa de ar do carro. Aderido na parte debaixo do carpete há uma camada de E.V.A, que serve para moldar melhor o carpete ao carro e também para evitar que o próprio carpete faça pequenos riscos na pintura, por ser um tecido áspero e pouco flexível. A peça toda fica presa ao carpete do carro por um velcro, podendo ser retirada sempre que necessário.

 

Outra coisa que incomoda muito são os “acidentes urinários e intestinais”. Pensando nisso, minha mãe desenvolveu esta capa protetora de três camadas: protetor de colchão, almofada de cadeira convencional e um tecido usado em bancos de carro. Dessa forma, fico despreocupado em fazer sujeira e deixar aquele cheirinho desagradável no carro.

 

 

Para evitar que a cadeira de rodas risque o para-choque ao colocá-la no porta-malas, coloquei um carpete semelhante ao instalado na porta, também com E.V.A na parte debaixo.

 

A parte interna da tampa do porta-malas também foi revestida com carpete, buscando evitar arranhões e diminuir o barulho causado pela cadeira de rodas em contato com o plástico. Com a mesma finalidade, as laterais do porta-malas também receberam carpete.

Custo aproximado do protetor de banco: R$ 60,00
Serviço de tapeçaria: R$ 200,00


Frederico Rios




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *