Experiências boas e ruins

Publicado em: 06.janeiro.2013

Por: Acessibilidade na Prática

Experiência negativa em Março de 2012, no Aeroporto de Guarulhos
 
Fui convidada a participar do I Seminário Incluir na UNESP de Marília (SP). Devido ao tempo de viagem e "acessibilidade", eu, minha mãe (acompanhante) e colegas de trabalho fomos de avião pela TRIP, com embarque no Aeroporto Internacional de Guarulhos (o qual, até então, eu considerava bem conceituado).
 
Chegando ao aeroporto, uma das pessoas que estavam comigo foi pedir uma cadeira de rodas, pois eu não conseguiria andar até o balcão. No balcão da TAM, disseram que tinha que pedir na TRIP. Ela encontrou uma pessoa com a camisa "Posso ajudar – INFRAERO" e pediu a cadeira novamente. Essa pessoa informou que ela só poderia pegar a cadeira na Companhia Aérea. Nesse período, eu ainda aguardava em pé próximo ao balcão da TAM.

Ela trouxe uma cadeira da TRIP, que tinha defeito na roda da frente e não andava, correndo o risco de me derrubar, então fui andando até o balcão da TRIP. Fiz o check-in e um funcionário da Cia, com aquela cadeira, me empurrou (pois não tinha como a cadeira andar) até a sala de embarque próximo à pista.

Nessa sala havia uma outra cadeira preta encostada no canto, sem uso. Perguntei à funcionária se eu poderia utilizar a outra cadeira, pois a que eu estava tinha problema, e ela me respondeu (vou repetir a frase):

– Aquela cadeira é da INFRAERO, não podemos usá-la. A senhora terá que permanecer nessa em que está.

E me encaminhou para o embarque.

O voo saía às 18:25h e fui para a aeronave às 18:10h. Isso seria bom se não fosse o voo que ia para Manaus! Mas eu só fui saber disso quando me colocaram na aeronave, e tiveram que fazer a troca. Disseram que essa cadeira seria mandada para a manutenção. Avisei a companhia aérea que eu não subo escadas e eles me colocaram na aeronave subindo degrau por degrau, carregando a cadeira.

O seminário foi maravilhoso, já tinha até relevado esse transtorno da ida, se não fosse um transtorno ainda pior na volta!!!
 
Desembarcamos em Guarulhos. Uma funcionária (Vanda) da TRIP me esperava com uma cadeira de rodas no portão de desembarque. Eu tive a triste ilusão de pensar que seria uma outra cadeira, mas adivinhem: era a mesma cadeira da ida!!!

Passamos, com muito esforço, por uma escada rolante, onde havia uma cadeira preta (como a da ida). Pedi então à funcionária para trocarmos, e sabe qual a resposta que o segurança que estava perto me deu?
 
– Ah, essa cadeira é da INFRAERO e está presa à escada rolante com uma corrente e cadeado, que é para ninguém pegar!!!
 
– E como posso falar com alguém da INFRAERO? – perguntei.
 
– A Senhora tem que se dirigir até o 1º andar. – respondeu ele com uma risadinha.
 
A Vanda teve que me empurrar até o estacionamento onde o carro me esperava. 

É impressionante a "atenção" que a Administração do Aeroporto Internacional de Guarulhos e a INFRAERO dispõe para as pessoas com deficiência. E, também, a organização que a TRIP teve na hora do embarque, me colocando num voo para Manaus sendo que eu ia para Marília.

No momento do embarque/desembarque eu não estava com a câmera em mãos para filmar ou fotografar o ocorrido.
 
A resposta da Companhia Aérea em 15/03/2012 foi a seguinte:

"Esclarecendo os pontos levantados pela senhora, salientamos que a cadeira de rodas que temos disponível na base TRIP em Guarulhos, para auxilio de passageiros com dificuldade de locomoção, não apresenta condições impróprias para a utilização, porém se o manuseio não é realizado de forma adequada*, pode ocorrer a sensação de travamento nas rodas da frente. Ressaltamos que devido ao manuseio ter ocorrido de forma provavelmente irregular, todos os colaboradores serão submetidos a novo treinamento, visando a erradicação de novos episódios desta natureza. No que diz respeito ao direcionamento da senhora à aeronave com destino a Manaus, salientamos que o equívoco foi reportado ao Gerente Geral TRIP de Guarulhos, para que haja uma reorientação aos funcionários."

*(só sentei e me empurraram, tem alguma outra forma de uso?)
 
 
Experiência positiva em Dezembro de 2012, no Aeroporto de Guarulhos
 
Na segunda viagem que fiz passando pelo Aeroporto de Guarulhos, dessa vez com destino a Natal (RN), o embarque e desembarque foram tranquilos (em SP foi pelo ambulift e em Natal foi pela cadeira automática). Consegui filmar o embarque/desembarque:



 

Fiquei hospedada no Esmeralda Praia Hotel, onde foram muito atenciosos comigo, disponibilizando cadeira de banho e estrutura para receber uma pessoa com deficiência física.

Abaixo seguem algumas fotos:





 

 










Fernanda Figaro é Assistente Administrativo, Pedagoga, pós-graduada em Psicopedagogia Clínica e Institucional, mora em São Caetano do Sul (SP) e tem mobilidade reduzida (usuária de cadeira de rodas).

Vídeo e imagens: arquivo pessoal.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *