Adaptação para escova de dentes

Publicado em: 24.maio.2012

Por: Acessibilidade na Prática

Sou Cirurgiã Dentista e faço Especialização em Odontopediatria. Atendo em um consultório odontológico e também faço atendimentos num ESF (Estratégia de Saúde da Família) em Costa Rica (MS), cidade onde moro. Apesar de atender crianças e adultos, minha paixão e o foco principal do meu trabalho é a pediatria, inclusive crianças com deficiência.

Há alguns meses, atendi no ESF um paciente de 15 anos com diagnóstico de Hidrocefalia. Ele não gosta que ninguém escove seus dentes, a não ser ele mesmo. Devido à sua lesão cerebral, ele possui rigidez articular e falta de coordenação motora, o que dificulta a escovação, aumentando assim os riscos de desenvolver gengivite, doença periodontal, cáries, entre outros. Além disso, existem efeitos colaterais como a xerostomia (boca seca) – causada pelo uso frequente de fármacos em cuidados paliativos devido à Hidrocefalia – que aumenta ainda mais a predisposição para tais doenças, sendo extremamente importante uma boa higiene bucal.

A partir daí, vimos a necessidade de encontrar uma solução para este paciente tentar escovar os dentes sozinho. Assim, Leidimar (Técnica de Saúde Bucal do consultório), Idevanilce (Técnica de Saúde Bucal do ESF) e eu,  juntamente com a equipe da Oficina de Sonhos (projeto realizado pela Prefeitura Municipal), desenvolvemos um adaptador de acrílico para encaixar a escova de dentes deste paciente.




Com este adaptador, o paciente consegue escovar os dentes sozinho, como era de sua vontade. Entretanto, até pelo seu comprometimento motor, a escovação não é feita de forma adequada, o que também ocorre com pacientes sem nenhuma dificuldade ou deficiência. Por isso, continua sendo indispensável o acompanhamento periódico de um Dentista, o qual irá realizar técnicas de higiene bucal complementares e diagnosticar possíveis patologias ou complicações.


Carolina Moreira Silva – Cirurgiã Dentista

E-mail: [email protected]

 

6 ideias sobre “Adaptação para escova de dentes

    • Jaqueline, esta adaptação foi feita apenas para este paciente. Não sabemos se já existem adaptações similares no mercado, mas vale a pena dar uma pesquisada. Abraços!

  1. Parabéns pela iniciativa, porém cabe ressaltar que quando há dificuldade na realização de alguma atividade da vida diária, deve ser acionado um terapeuta ocupacional, profissional que estuda as ocupações diárias e realiza tratamento voltado para a independência ocupacional, seja numa abordagem corretiva ou compensatória (uso de adaptações e estratégias para as atividades do dia a dia).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *