Telefone público – Av. Afonso Pena esquina com Rua 14 de Julho

Publicado em: 13.maio.2011

Por: Acessibilidade na Prática

Estes telefones públicos estão localizados fora da faixa livre de circulação da calçada, não interferindo na passagem de pedestres. Neste caso, observamos um telefone padrão e outro rebaixado, para atender pessoas de baixa estatura e cadeirantes.
 
 
 
 
Orelhões são considerados obstáculos suspensos, já que possuem volume maior na parte superior do que na base. Assim, deveriam ter sinalização tátil de alerta, a qual deve ser instalada perpendicularmente ao sentido de deslocamento. A superfície a ser sinalizada deve exceder em 60 cm a projeção do obstáculo, em toda a superfície ou somente no perímetro deste. Abaixo, um exemplo de sinalização tátil de alerta em obstáculos suspensos.

 

 

 
 
Apesar de o telefone estar localizado de forma a não atrapalhar o fluxo de pedestres, existem obstáculos para chegar até este mobiliário, sem dizer que a calçada não possui piso tátil direcional. Desta forma, como um deficiente visual poderá encontrar este telefone? Além disso, como encontramos uma calçada com pedras soltas, lixo e espaço estreitado, um cadeirante ou uma mãe empurrando um carrinho de bebê, por exemplo, encontrarão dificuldade para locomover-se neste espaço.
 
 
 
 

Em relação ao orelhão rebaixado, a área inferior é livre, permitindo a aproximação frontal e lateral de cadeirantes. O fio do telefone tem comprimento adequado, permitindo o uso do aparelho sem restrições. O teclado tem altura ideal, tornando-se acessível para pessoas de baixa estatura e cadeirantes.  A organização numérica do teclado segue o padrão com o número 1 do lado esquerdo, porém a presença de sinalização em Braille não foi avaliada.

 

 

Maria Alice Furrer Matos

 

Data das fotos: 30/04/2011

 

 


2 ideias sobre “Telefone público – Av. Afonso Pena esquina com Rua 14 de Julho

  1. Pingback: Obstáculos suspensos | Acessibilidade na Prática

  2. Como a função da cúpula do orelhão é diminuir a interferência do ruido urbano, poderia também ser de material flexível, evitando as cabeçadas de pessoas distraidas ou deficientes visuais.  
    Notei também que essa esquina, vista no "street view", é ponto de ambulantes e ganhou um tótem de semáforo para pedestres, contrariando o que orienta a NBR 9050, sobre mobiliário, passeios em  esquinas. Mas, com o tempo, os técnicos do poder público aprendem e corrigem. E olha que eu moro longe daí! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *