Sanitário acessível do Fórum de Campo Grande

Publicado em: 21.junho.2012

Por: Acessibilidade na Prática

O Fórum de Campo Grande (MS) fica localizado na Rua da Paz 74 e possui vários pavimentos. Em cada um deles existem sanitários com boxe acessível. Como todos os sanitários deste estabelecimento seguem um mesmo padrão, registramos apenas o que está localizado no térreo. Confiram!

 
Este é o corredor que leva até os sanitários. O dimensionamento desta área é satisfatório, onde um cadeirante tem a possibilidade de ir e vir caso esteja sozinho no corredor.

A única sinalização indicando a presença dos sanitários é uma placa com sinalização visual, com a palavra "Sanitários" escrita em branco sobre o fundo preto. As cores possuem bom contraste, mas não há o Símbolo Internacional de Sanitários nem o Símbolo Internacional de Acessibilidade. Assim, um analfabeto ou um turista, por exemplo, terão dificuldade para localizar esta estrutura. Também não existe sinalização tátil indicando a presença dos sanitários.

No final do corredor, ao lado da porta de entrada do sanitário feminino, existe um cesto de lixo e um bebedouro. Este último não é acessível, pois sua altura não permite o alcance de todos. Na parede lateral do bebedouro (canto direito da foto) existem copos descartáveis dispostos em um suporte vertical fixado na parede, porém sua altura não foi mensurada.

 
Esta é a porta do sanitário feminino, devidamente sinalizada com o Símbolo Internacional de Sanitário Feminino. Como complemento, abaixo do símbolo está escrita a palavra "ela" em preto sobre o fundo branco. Acima desta placa existe outra, com fonte mais reduzida, com os dizeres "WC Fem", escrito em branco sobre o fundo preto. Sinalizações visuais devem ser feitas por símbolos, e a parte escrita é apenas um complemento, não estando especificada na NBR 9050/2004.

Dentro deste sanitário existe um boxe acessível, porém não há nenhuma sinalização indicando a presença do mesmo.

Esta porta não possui sinalização tátil (Braille ou texto em relevo) instalada nos batentes ou vedo adjacente.

A porta possui vão livre satisfatório e um pequeno puxador vertical para sua abertura. Há também uma mola instalada internamente para fechamento automático da porta, dificultando sua abertura por um cadeirante, um idoso ou uma pessoa com andador, por exemplo. Além disso, a abertura da porta é para o interior do sanitário, diminuindo o espaço interno.

Nota-se que a parte inferior desta porta está desgastada. Por este motivo, a norma técnica recomenda que as portas tenham na sua parte inferior, inclusive nos batentes, revestimento resistente a impactos provocados por bengalas, muletas e cadeiras de rodas, até a altura de 0,40 m a partir do piso.
 

Visão interna da porta do sanitário, onde é possível visualizar a mola de fechamento automático, que acaba tornando pesada sua abertura.

A maçaneta da porta é um puxador vertical de tamanho pequeno. Devido ao conjunto (porta abrindo para o interior, mola automática, maçaneta inadequada, ausência de puxador horizontal e espaço estreito), um cadeirante ou uma pessoa com andador terá dificuldade tanto para entrar quanto para sair do sanitário.

 
Este é o boxe acessível, o qual não possui nenhuma sinalização. Presume-se que este seja o boxe acessível devido ao seu dimensionamento (maior que os demais), presença das barras de apoio e porta com vão livre maior.

O vão livre da porta é satisfatório, porém sua maçaneta e trinco são de difícil manuseio.

A bacia sanitária (canto esquerdo da foto) está exageradamente distante da barra de apoio lateral, ou seja, é impraticável a transferência de um cadeirante para a bacia utilizando a barra lateral.

Entre a bacia sanitária e a parede lateral, onde há maior espaço para transferência, há um cesto de lixo atrapalhando a área de transferência.

A papeleira está instalada inadequadamente na parede posterior à bacia, além de estar a uma altura excessiva. Ao fazer o movimento rotacional de tronco para alcançar a papeleira, uma pessoa com dificuldade de locomoção pode se desequilibrar e até cair.

O acionamento da descarga está adequadamente posicionado atrás da bacia sanitária, porém sua altura não foi mensurada.

Não há lavatório dentro do boxe acessível, estando em desacordo com a norma técnica. A ausência deste lavatório pode causar constrangimento a algumas pessoas que necessitam higienizar certos itens de uso pessoal, obrigando-as a fazê-lo num dos lavatórios comuns.

 
Os lavatórios não possuem barras de apoio. Como estes são embutidos em bancadas, as barras deveriam ser instaladas nas paredes laterais dos lavatórios das extremidades.

As torneiras são acionadas por mecanismo de pressão, o que é acessível.

A saboneteira, localizada sobre o balcão, está com falta de manutenção, praticamente caída sobre a bancada. A papeleira está localizada na mesma parede (lateral), numa altura excessiva.

O cesto de lixo localizado no canto direito da foto tem acionamento por pedal, o que não é acessível, já que nem todas as pessoas têm condições para pisar em um pedal. Na ocasião da foto, era possível utilizar o cesto pois sua tampa estava solta e caída por trás, deixando sua abertura livre.

Existe um espelho acima dos lavatórios, na posição vertical. Sua altura de instalação permite a visualização por pessoas de diferentes estaturas.
 

No último lavatório existe um recorte na parte inferior da bancada, visando garantir a aproximação frontal de um cadeirante. Entretanto, este lavatório ficou muito afastado do boxe acessível, dificultando seu uso por pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

A saboneteira está ao lado da torneira e possui fácil acionamento (por pressão). Colocar a saboneteira sobre o lavatório, como neste caso, evita que o sabonete pingue no piso e o torne escorregadio.

Existe uma papeleira ao lado deste lavatório com recorte inferior, porém está levemente afastada da bancada, perdendo também parte da sua funcionalidade por estar distante do boxe acessível e da porta de saída.
 

Maria Alice Furrer

Fotos: 06/06/2012
 

6 ideias sobre “Sanitário acessível do Fórum de Campo Grande

  1. Gostaria de saber porque tem alguns vasos sanitários com recorte na frente, pq acho que a pessoa que enventou deveria ser homem, pois para mulher dificulta muito, eu tenho muita dificuldades em usar um vaso desse, com isso terei que criar uma tampa para encaixe, para carregar, não consigo nem me equilibar, acho um absurdo. Nem no Sarah tem desses tipos de vaso, mas em hotel e aeroporto, meu Deus conta dificuldade, vaso alto e com buraco.
     

    • Olá, Fabricia! Este recorte na bacia sanitária é uma reclamação da maior parte dos cadeirantes, e este modelo nem é obrigatório pela norma técnica atual. Já ouvi dizer que este recorte é útil para quem precisa esvaziar a bolsa de colostomia, mas nunca ouvi nenhum relato desse tipo de usuário. Tudo indica que trata-se de uma questão “comercial”, e muitas lojas vendem este modelo de vaso como o “único” adequado para banheiros adaptados. Abraços!

  2. Maria Alice Furrier…
    Acompanhando suas análises dos ambientes, com foco na acessibilidade, vamos amadurecendo mais e mais. Agradeço a você e a todos que nos ensinam o que é certo para todos usuários desses ambientes. Um abraço e obrigado!
    Plautio

  3. esqueceram de falar que o vaso adequado teria q ter um calço maior , n pode ser rente ao chão para facilitar a transferencia de cadeirantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *