Marruá Hotel

Publicado em: 09.fevereiro.2012

Por: Acessibilidade na Prática

Olá!

Estive em Bonito (MS) há alguns dias para passar o fim de semana com um grupo de amigos. Fiquei hospedada no Marruá Hotel e observei alguns pontos em relação à acessibilidade do local. Confiram!


Vista panorâmica da parte dos fundos do hotel, onde ficam a área de lazer, piscinas, restaurante, alguns apartamentos e a sala de café da manhã.

Por curiosidade, perguntei à recepcionista se havia no hotel algum apartamento acessível. Segundo ela, existe 1 (um) quarto adaptado, que fica no fundo da foto, à esquerda, onde também existem outros apartamentos. Seu acesso é feito por uma rampa. Não tive oportunidade de verificar as instalações nem o acesso a este quarto.

 
Esta é a principal rota entre a recepção a parte dos fundos do hotel.

A paisagem é agradável, porém os hóspedes não conseguem apreciá-la sem passar por este caminho, feito de blocos não contínuos. Existes faixas de grama entre os blocos, tornando o percurso nada acessível.

Esta falta de continuidade entre os blocos dificulta e até impossibilita que um cadeirante ou uma mãe com carrinho de bebê, por exemplo, transponham este trecho.

Cheguei no hotel à noite e estava chovendo. Acabei passando por este trecho e confesso que fiquei com receio de cair ou escorregar.

Não há rebaixamento entre a guia e a calçada seguinte a este caminho de blocos, ou seja, outra barreira física.

Todas as rotas da parte dos fundos do hotel possuem guia de balizamento sem interrupções, servindo de orientação para deficientes visuais.


A rampa do canto direito da foto dá acesso ao quarto acessível, e a do centro à sala de café da manhã.

Em ambas as rampas não há sinalização tátil de alerta no início nem no final. Não há paredes laterais, mas existem guias de balizamento, instaladas nos limites da largura das rampas.

A rampa de acesso à sala do café possui piso antiderrapante e sua largura é satisfatória. Não mensurei sua inclinação, mas senti que a subida não é suave. Não há corrimão nesta rampa, o qual serviria de apoio para "todos" os hóspedes, com ou sem algum tipo de dificuldade de locomoção.
 

A rampa da foto anterior está associada a esta escada, que também leva à sala do café.

Esta escada possui sinalização visual na borda dos degraus, feita por faixas antiderrapantes na cor preta, em contrataste com o piso. Notem que em alguns pontos do início da escada, está faltando algumas partes da faixa.

Não há sinalização tátil de alerta no seu início nem no seu final.

O corrimão é unilateral, ou seja, está incorreto, pois deveria estar instalado nos dois lados.
 
 
Esta é uma das áreas de descanso, porém não é acessível a cadeirantes, já que não há rebaixamento de guia para chegar até os sofás. Sem contar que todo o trecho é circundado de grama, dificultando ainda mais o acesso.
 
Fui muito bem recebida no hotel, mas percebi que há algumas falhas relacionadas à acessibilidade.


Maria Alice Furrer

Fotos: 28/01/2012

 

Uma ideia sobre “Marruá Hotel

  1. Pingback: Apartamento acessível do Marruá Hotel | Acessibilidade na Prática

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *