Casa Cor MS 2011

Publicado em: 07.outubro.2011

Por: Acessibilidade na Prática

 
Olá, pessoal!!!
 
Como nós do Acessibilidade na Prática sempre procuramos aprender e compartilhar informações sobre acessibilidade, não poderíamos deixar de conhecer a Casa Cor MS 2011, um dos grandes eventos de arquitetura, decoração e paisagismo do Brasil.
 
Sabemos que o foco do evento não é a acessibilidade, mas fizemos este passeio para avaliar as condições de acesso dos visitantes e, quem sabe, encontrar alguma novidade acessível. E claro, conhecer novidades e tendências do setor, o que sempre vale à pena.
 
Antes do nosso passeio, conheçam um pouco da história deste evento:
 
 
A Casa Cor no Brasil e no Mato Grosso do Sul
 
No Brasil, a maior exibição de decoração do país, Casa Cor, começou pelas mãos de quem na época, 1987, nunca havia trabalhado no meio. A brasileira Yolanda Figueiredo e a argentina Angélia Rueda atuavam em áreas bem diferentes em São Paulo quando, em visita a Buenos Aires, foram procuradas pelos amigos Ernesto Del Castillo e Javier Campos Malbrán. Os dois propuseram organizar uma mostra de decoração no Brasil semelhante à Casa Foa, evento que desde 1985 vinha sendo realizado com sucesso na capital portenha. A idéia agradou e, no mesmo ano, os quatro se uniram no desafio de lançar a mostra para os paulistas.
 
Em 9 de junho de 1987 era inaugurada a primeira Casa Cor na bela propriedade da família Forbes, no Jardim Europa. Vinte e cinco profissionais decoraram 22 ambientes e 6.700 pessoas, na maioria senhoras da sociedade, visitaram a casa.
 
Hoje, 15 anos depois, Casa Cor é exemplo de uma experiência bem sucedida. Com 13 franquias no território nacional e uma no Peru, trata-se de uma exibição que movimenta, alicerça e determina os lançamentos do setor.
 
Desde 2001, na décima quinta edição, a Casa Cor mudou de mãos. O controle passou a ser de Roberto Dimbério, que representa os acionistas do Patrimônio Private Equity. Yolanda e Angélica ficaram felizes e confiantes: “Acreditamos que com Dimbério o evento cresceu ainda mais, ampliando seu campo de ação”.
 
Este ano, a Casa Cor foi adquirida pela Abril S/A, um dos maiores grupos de comunicação da América Latina, e pelo grupo Doria Associados, referência nacional nas áreas de comunicação e marketing. No mês de abril, Giancarlo Civita, diretor da Abril S/A; João Dória Jr, presidente da Casa Cor e Felipe Camargo, vice-presidente, foram apresentados aos franqueados de todo o Brasil.
 
A Casa Cor MS  tem como missão mostrar ao público visitante  o Conceito de Morar Bem. É uma realização da Siriri Eventos, sob a direção de Vagner Giglio, Emili Giglio e Marcelo Giglio, que  também são os responsáveis pela franquia da Casa Cor Mato Grosso, onde já realizaram sete mostras. A Casa Cor MS será realizada a cada dois anos, alternando a mostra anual com o Estado vizinho.
 
(Com informações do site Casa Cor São Paulo)
 
 
 
Acessibilidade aos visitantes
 
Neste passeio, não fizemos um “pente fino” como em alguns locais já visitados pelo blog, mas vou compartilhar a experiência que tive como cadeirante ao “rodar” pela casa.
 
Na chegada, não havia muita opção para estacionar. A rua era estreita e estava lotada de carros. O jeito foi retirar alguns cones (que bloqueavam a entrada) e parar o carro na calçada apenas para eu descer. Imediatamente, um segurança veio nos repreender, mas lhe explicamos a situação e ele até nos ajudou. Depois de tudo resolvido, minha mãe foi estacionar o carro em outro lugar.



Para entrar na casa (portaria) havia uma rampa improvisada. Era estável, mas muito inclinada e sem corrimão, impossível de ser utilizada sem a ajuda de alguém, mesmo utilizando uma cadeira de rodas motorizada.
 



Após subir pela rampa, necessitei de ajuda para conseguir romper um degrau considerável.
 



A partir daí, fui “escoltado” por dois seguranças do evento, os quais me acompanharam durante toda a visita, auxiliando-me quando eu solicitava. Os dois rapazes também carregavam uma rampa móvel, feita de madeira, e colocavam nos degraus externos que eu desejava subir com a cadeira.

Sinceramente, é meio chato ser "perseguido" o tempo todo enquanto você passeia por algum lugar, mesmo que por pessoas solícitas e bem educadas, como foi o caso. Sei que eles foram orientados a agir daquela forma (e de improviso, devido a presença de um cadeirante), mas este tipo de atitude nos tira a liberdade, a autonomia e até a privacidade.
 



Os revestimentos dos pisos utilizados na parte externa da casa eram um pouco irregulares, mas nada que prejudicasse ou oferecesse riscos durante o percurso.
 




Alguns ambientes eram no piso superior, sendo necessário subir escadas. Os seguranças até se ofereceram para me subir com a cadeira, mas preferi ficar no piso térreo para não correr riscos, até porque minha cadeira é muito pesada. Além disso, tudo indicava que aqueles funcionários não eram treinados para lidar com pessoas com deficiência, e não basta apenas força física para subir uma escada carregando um cadeirante.
 




Sanitário acessível
 
Este é o sanitário adaptado, disponível aos visitantes com deficiência ou com mobilidade reduzida. Observação: este banheiro não faz parte da mostra da Casa Cor MS.
 
Há algumas falhas, como falta de sinalização na porta, posição incorreta da lixeira, altura excessiva das papeleiras, ausência de barras em torno da pia e, principalmente, espaço interno insuficiente para área de giro.
 
As barras de apoio do vaso sanitário, a aproximação frontal da pia e os acionamentos da descarga e da torneira da pia atendem às necessidades dos usuários, respeitando as normas de acessibilidade. Há também uma ducha higiênica instalada próxima do vaso, a qual é preferência e até necessidade de muitas pessoas.


 

Estruturas e equipamentos acessíveis da mostra
 
Banheiro para idosos
 
Deixando as normas de acessibilidade um pouco de lado, ficamos contentes em nos deparar com um banheiro projetado para idosos. Além de barras de apoio no sanitário e no chuveiro, havia uma banheira de hidromassagem com acesso lateral, facilitando a entrada de pessoas com dificuldade de locomoção. Apenas um detalhe: o quarto e o banheiro para idosos ficavam no piso superior, com acesso apenas por escadas.

Um fator interessante deste espaço é que os Arquitetos tornaram o ambiente esteticamente agradável, fugindo daquele "padrão" composto por revestimentos brancos e barras cromadas.






Lixeira automática
 
Esta lixeira não é uma invenção recente, mas não deixa de ser uma solução interessante para banheiros utilizados por pessoas com deficiência.
 


 

Plataforma elevatória
 
Saindo da casa em direção à piscina, havia esta plataforma elevatória junto à escada. O acesso à piscina e outras áreas também podia ser realizado por uma calçada, a qual dava a volta num aquário ao ar livre, mas eu quis testar o equipamento. 
 
Não sou nenhum especialista em plataformas elevatórias, mas não me senti seguro ao utilizar esta, principalmente por não haver proteção para os pés. Se o cadeirante não estiver atento, pode se machucar.



 


Finalizando
 
A Casa Cor MS mais uma vez proporcionou um show de novidades aos seus expectadores. Segundo os próprios Arquitetos com projetos no evento, a edição de 2011 teve como principais focos a sustentabilidade e a tecnologia, e pudemos observar isso em praticamente todos os ambientes.
 
Como já dissemos anteriormente, somos conscientes de que a Casa Cor não é uma mostra de tecnologias em acessibilidade, mas bem que os organizadores poderiam pensar um pouco mais na diversidade de seus visitantes, facilitando o acesso de TODOS. Arquitetura, decoração e paisagismo são áreas que interessam a muitas pessoas, tanto profissionais quanto consumidores, com e sem deficiência.
 
É animador ver que os organizadores do evento já se preocupam com os idosos, até por se tratar de um segmento importante do mercado, tendo em vista o envelhecimento da população e o aumento da expectativa de vida dos brasileiros. Mas e as pessoas com deficiência? Não são um bom mercado? Acredito que são sim. Se tomarmos como base o Censo do IBGE (2000), mesmo estando um tanto quanto desatualizado, vemos que as pessoas com deficiência somam 24,6 milhões de habitantes (14,5% da população nacional). Alguns institutos afirmam (e é fácil comprovarmos isso na prática) que cada pessoa com deficiência está diretamente ligada a pelo menos outras duas pessoas, ou seja, 73,8 milhões de pessoas necessitam de tecnologias acessíveis que facilitem suas vidas.
 
Muitos podem dizer, e com razão, que a Casa Cor expõe produtos e tecnologias acessíveis (financeiramente) apenas às pessoas com maior poder aquisitivo. Entretanto, isso não é motivo para não investir ou divulgar soluções em acessibilidade. Empresários e profissionais que se dedicarem a criar alternativas para todos os bolsos certamente obterão bons lucros.
 

Frederico Rios
 
Imagens: Maria Alice Furrer (15/09/2011)
 

 


6 ideias sobre “Casa Cor MS 2011

  1. Execelente essa banheira para idosos… mas gostaria de saber se o piso da mesma é antiderrapante porque o maior problema deles é no caso de queda, já que a probabilidade de quebrar um osso é bem alta.
    Amei a matéria! Certamente vou procurar saber sobre essa banheira!
    Abraços a toda a equipe…

  2. Este post está lindo!!! Ótimas considerações e imagens. Dá gosto de ler, a Casa Cor tem mesmo que incentivar a acessibilidade, mostrando aos novos e antigos projetistas que esse é um mercado que não pode ser esquecido. É muito importante. Sua finalização está muito feliz, o evento não é voltado para a acessibilidade mas deve estar ligado nisso mesmo; e os produtos para todos os bolsos vão aparecer, tenhamos fé e que as pesquisas em torno disso aumentem.
    Que tal todos partilharmos sobre a acessibilidade na Casa Cor da sua cidade? Estaremos na de Recife em novembro, seria muito interessante se todo mundo false um pouco da acessibilidade na Casa Cor mais perto de cada um =)
    Não sei se já viram, mas essa é a "cozinha com conceito acessível" da Casa Cor de SP: http://www.youtube.com/watch?v=gU7_PLXz9yA
    Parabéns, ANP. Beijos

  3. Gostei dos equipamentos para banheiros. Os designers, praticidade, conforto, enfim, parece que tudo foi feito pensando nos usuários. E é assim que tem de ser.
    Quanto à plataforma, Fred, de fato, quando ela não tem proteção para as pernas, causa insegurança e medo. Eu já senti o mesmo em algumas aqui em Viçosa. Instalei uma em minha casa, porem com portas de vidro dos dois lados. Fica igualzinho a um elevador e com total segurança. Se quiser, posso lhe enviar fotos e informações adicionais….
    Parabéns ao pessoa da Casa Cor de Mato Grosso do Sul!
    Abraços,
    Zezé Fontes

  4. Pingback: Banheiras acessíveis | Acessibilidade na Prática

  5. Pingback: Casa Cor MS 2014 | Acessibilidade na Prática

  6. Pingback: Casa Cor MS 2016 | Acessibilidade na Prática

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *