Calçadas – trecho da Rua 14 de Julho

Publicado em: 20.maio.2011

Por: Acessibilidade na Prática

Estas fotos foram tiradas na Avenida 14 de Julho, em Campo Grande – MS, no trecho entre a Avenida Afonso Pena e a Rua Cândido Mariano.
 
 
Calçada apresentando revestimento deteriorado, com pisos/pedras soltas, rachaduras, buracos e lixo, afetando o fluxo de todos os pedestres, que tenham ou não alguma deficiência física ou mobilidade reduzida. A cerâmica é o piso utilizado para revestir este lote da calçada, e o mesmo não é antiderrapante. Neste trecho, não há piso tátil direcional ou linha guia, dificultando a locomoção de deficientes visuais.
 
Além da falta de manutenção do revestimento, no canto esquerdo da foto existe uma tampa de inspeção não nivelada com piso, e sua superfície não é firme, estável nem antiderrapante.
 
Neste lote existe a entrada de uma loja (canto esquerdo da foto) que não é acessível, já que existe um degrau não sinalizado (ausência de sinalização tátil e visual).

 
Este lote da calçada possui sinalização tátil direcional, e o revestimento do piso está firme, estável e é antiderrapante. A faixa livre de circulação de pedestres é garantida, já que os postes e parquímetros não interferem no fluxo.
 
O problema está nas caixas de esgoto, que não possuem superfície antiderrapante e não são niveladas com o piso (as tampas formam fendas com o piso, trazendo riscos de queda para as pessoas que trafegam neste local). 

 
Trecho da calçada com diferentes revestimentos dos lotes, onde o primeiro é antiderrapante e o segundo não (cerâmica). Em relação à extensão revestida com cerâmica, o piso está com a superfície irregular, instável e com rachaduras.
 
As tampas de esgoto não são niveladas com o piso e suas superfícies não são antiderrapantes. A faixa livre de circulação dos pedestres é prevista, mas novamente não há piso tátil direcional ou linha guia para auxiliar na locomoção de deficientes visuais.

 

 

Calçada garantindo faixa de circulação livre para pedestres, com piso regular, firme e antiderrapante.  Existe o piso tátil direcional, e o de alerta no final do trecho (na verdade, a instalação desta sinalização de alerta não indica um desnível, mas sim o final da sinalização direcional, já que o próximo lote da calçada não possui esta sinalização, tampouco linha guia).
 
Nesta calçada, podemos observar tampas de esgoto sem superfície antiderrapante, com frestas e acúmulo de água, oferecendo risco de queda aos pedestres.
 
Em relação ao segundo lote da calçada, que não possui sinalização tátil direcional, seu revestimento é trepidante e não é antiderrapante. Novamente, uma loja com entrada não acessível, onde há um degrau bastante elevado e sem sinalização visual ou tátil.

 
Calçada garantindo área de livre circulação para pedestres, com revestimento antiderrapante, porém o piso não é regular, firme nem nivelado (notem as rachaduras / fendas entre os pisos e entre a tampa de esgoto). Nesta área não há piso tátil direcional ou linha guia.
 
A caixa de esgoto deste trecho, além de não possuir revestimento antiderrapante, não está nivelada com o piso, formando fendas. Quando estávamos fotografando este trecho, uma pessoa pediu para fazermos uma foto desta tampa de esgoto, pois, dias antes, sua amiga estava caminhando com uma sandália de salto nesta calçada, enroscou o pé na fenda da tampa e fraturou a perna.
 
 
Maria Alice Furrer
 
Fotos: Giuliano Lopes (30/04/2011)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *