Apartamento acessível do Marruá Hotel

Publicado em: 02.abril.2014

Por: Acessibilidade na Prática

Este é um dos apartamentos acessíveis do Marruá Hotel, localizado na Rua Joana Sorta  1173, Vila Donária, Bonito (MS).


fotoEsta é a porta de entrada do apartamento acessível. O número do quarto está no centro superior da porta, representado apenas visualmente com números de baixo contraste (algarismos de metal sobre a madeira), dificultando sua legibilidade.

A maçaneta da porta não é acessível pois sua superfície é arredondada, exigindo destreza nas mãos para manuseá-la.

O vão da porta é satisfatório, permitindo a passagem de um cadeirante com tranquilidade. A largura e a localização da porta (no meio da parede) prejudica o espaço interno do quarto, dificultando manobras numa cadeira de rodas, por exemplo.


fotoEntrando no quarto, à direita, estão o sanitário e um pequeno corredor com um armário no seu final.

A abertura das portas do armário não interfere no espaço do quarto. Entretanto, como  o armário está localizado no final de um corredor, um cadeirante terá dificuldade em manobrar sua cadeira para conseguir abrir ou fechar as portas.

As primeiras prateleiras do armário são acessíveis. Já o cabideiro e as últimas prateleiras possuem altura excessiva. 


fotoO vão da porta do banheiro é satisfatório. A porta abre para o interior, diminuindo o espaço interno e prejudicando questões de segurança. 

A maçaneta não é acessível, possuindo a superfície arredondada como a da porta de entrada do quarto.


fotoO lavatório é suspenso, porém não mensuramos sua altura de instalação.

Não há barras de apoio junto e ao redor do lavatório.

A superfície da torneira é arredondada, dificultando seu manuseio. O ideal seria que a torneira tivesse acionamento por mecanismo de pressão ou alavanca.

O espelho permite uma boa visualização por cadeirantes e pessoas de baixa estatura.

Há suportes para toalhas, porém o que está fixado na parede lateral direita do lavatório está numa altura excessiva.

A bacia sanitária não possuía ducha higiênica, apesar de ser um item apenas “recomendado” pela norma técnica. Porém, no momento da reserva, o funcionário do hotel garantiu que o banheiro contava com a ducha. Chegando ao quarto, constatamos que não havia ducha higiênica, sendo necessário fazer uma adaptação puxando uma mangueira debaixo do lavatório, o que não atendeu às necessidades do hóspede pois a mangueira não chegava até a bacia sanitária. 


fotoAs barras de apoio estão instaladas nas paredes lateral e posterior da bacia, porém estão lateralizadas às posições adequadas, o que é incorreto e não atende às necessidades dos usuários. Além disso, a bacia está muito distante da parede lateral.

O cesto de lixo está atrapalhando a transferência para a bacia sanitária. Bastaria colocá-lo entre a bacia e a parede lateral para que não interferisse na circulação.

A papeleira está instalada na parede do fundo da bacia, dificultando ou impossibilitando seu alcance pelo usuário. 

Existe um box para o chuveiro, sendo que parte deste box fica na frente da bacia sanitária, estreitando o espaço. Como o banheiro possui uma área generosa, não haveria nenhum estreitamento se o box fosse instalado de forma mais adequada.


fotoEste é o box do chuveiro. Sua abertura é difícil porque os puxadores das portas são muito pequenos. Como o box é de vidro temperado transparente, seria necessária uma marcação visual para evitar colisões.


O piso da área de banho possui um desnível a aproximadamente 30 cm do vidro temperado, acompanhando toda a sua extensão, o que dificulta bastante as manobras com a cadeira higiênica. Provavelmente este pequeno degrau não foi levado em consideração no momento da adaptação do banheiro e ampliação da área de banho.

As barras de apoio do chuveiro não estão instaladas de acordo com as especificações da norma técnica.

O chuveiro possui ducha manual, porém seu acionamento não é acessível.

Não há banco articulado na área de banho.



foto
Nesta imagem podemos observar uma cama de casal. Do seu lado esquerdo há uma de solteiro (não ilustrada na foto).

É visível que o espaço interno do quarto limita a circulação de um cadeirante. Entre a cama e a bancada há um vão que leva à sacada do apartamento, mas sua largura não permite a passagem de um cadeirante. 


fotoMesmo se o espaço entre a cama e a bancada fosse satisfatório, um cadeirante não teria acesso à sacada, pois sua porta é estreita e impede a passagem de uma cadeira.


Concluindo, o apartamento acessível do Marruá Hotel atende “parcialmente” as necessidades de um cadeirante. Se pensarmos nos deficientes visuais e auditivos, o hotel também deixa a desejar quanto à sinalização e comunicação, como instruções em braille, sinalização em relevo, sinalização luminosa e outros.


Outros fatores complicadores: o apartamento fica localizado muito distante da recepção, sendo necessário vencer rampas “perigosamente” íngremes e passar por locais desprotegidos do Sol e da chuva para chegar até ele e até a sala de café da manhã. Também não há vagas reservadas de estacionamento, tampouco serviço de manobrista. Além disso, o atendimento deixou a desejar, transparecendo falta de treinamento da equipe para lidar com pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção.


É claro que nosso foco aqui foi abordar a acessibilidade do local, mas não podemos deixar de ressaltar que há pontos positivos como paisagismo, café da manhã, limpeza, área de lazer e muito mais!



Leia também: Marruá Hotel


Frederico Rios e Maria Alice Furrer

Fotos: 22/02/2014



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *